Pistola rosa e com flores é apreendida em operação que terminou com traficante Hello Kitty morta

Armamento chamou atenção por se diferenciar das outras armas apreendidas. Ação da polícia em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, terminou com a morte de Rayane Nazareth Cardoso da Silveira e outros três suspeitos.

Por Eliane Santos, G1 Rio


Pistola cor de rosa e com flores apreendida na ação do Complexo do Salgueiro — Foto: Divulgação

Pistola cor de rosa e com flores apreendida na ação do Complexo do Salgueiro — Foto: Divulgação

A ação dos policiais do 7º BPM, em São Gonçalo, na sexta-feira (16) no Complexo do Salgueiro, que terminou com morte de duas lideranças do tráfico, o traficante Alessandro Luiz Viera Moura, o Vinte Anos, e Rayane Nazareth Cardoso da Silveira, a Hello Kitty, teve ainda a apreensão de armas.

Uma delas chamou atenção da polícia por se tratar de uma pistola estilizada na cor rosa e com flores (inspirada em um monograma de uma famosa grife francesa). A arma foi apreendida no local do confronto, juntamente com dois fuzis e uma outra pistola convencional.

A pistola rosa junto com os outros armamentos apreendidos na ação no Complexo do Salgueiro — Foto: Divulgação

A pistola rosa junto com os outros armamentos apreendidos na ação no Complexo do Salgueiro — Foto: Divulgação

G1 questionou a Polícia Militar de quem seria a arma, mas a instituição informou que esse tipo de confirmação só é possível após avaliação pericial.

Outros mortos

Além de Hello Kitty e Vinte anos, outros dois traficantes foram mortos na ação: Mikhael Wander Miranda Marins, que é filho do pastor Vanderlei Batista Marins, da Primeira Igreja Batista de Alcântara, e um quarto homem que não foi identificado. Veja vídeo abaixo.

Em suas redes sociais, a igreja mencionou a morte e informou sobre o enterro. Eles também pediram orações para o pastor e sua esposa.

“É com grande pesar que a Primeira Igreja Batista em Alcântara (PIBA) comunica o falecimento de Mikhael Wander Miranda Marins, filho do nosso querido Pastor Vanderlei Batista Marins e da irmã Rita de Cássia Silva Miranda Marins Marins, ocorrido nesta sexta-Feira (16). Ficamos extremamente entristecidos e consternados. Pedimos encarecidamente suas orações para o nosso pastor e esposa, assim como todos o seus familiares e amigos”, dizia a postagem.

Quem era a traficante Hello Kitty

Rayane Nazareth Cardozo da Silveira, a Hello Kitty, de 21 anos, que morreu em uma operação no Salgueiro era uma criminosa jovem. Mesmo assim, conhecida na hierarquia do tráfico na Região Metropolitana do Rio.

Investigada por crimes que vão de roubos a homicídios, ela era gerente do tráfico na comunidade Nova Grécia, também em São Gonçalo.

Nas redes sociais, onde gostava de se exibir, há registros dela aos 15 anos já mostrando armas. (veja fotos abaixo).

O apelido Hello Kitty é dessa época e teria sido dado por criminosos, por ela ser menina e meiga, mas ao mesmo tempo corajosa e ousada como os bandidos mais experientes.

Hello Kitty aos 15 anos: tatuagem e arma na coxa — Foto: Reprodução/Redes sociais

Hello Kitty aos 15 anos: tatuagem e arma na coxa — Foto: Reprodução/Redes sociais

Em novembro de 2015, ela fez uma tentativa de deixar o mundo do crime e passou a frequentar uma igreja evangélica junto com parentes e amigos.

Lá, ela descobriu o dom de cantar e passou a se apresentar nos cultos da igreja.

Rayane canta em templo evangélico à esquerda. Conhecida como Hello Kitty, gerenciava o tráfico de drogas em comunidade de São Gonçalo — Foto: Reprodução

Rayane canta em templo evangélico à esquerda. Conhecida como Hello Kitty, gerenciava o tráfico de drogas em comunidade de São Gonçalo — Foto: Reprodução

A fase evangélica durou alguns meses e ela voltou à vida do crime. Em 2016, ficou grávida. O filho de Hello Kitty tem 4 anos.

Foto de Hello Kitty com uma arma e a tatuagem na perna — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Foto de Hello Kitty com uma arma e a tatuagem na perna — Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Em 2018, Rayane entrou na mira da polícia. Com idade entre 18 e 19 anos ela já havia cometido uma série de roubos e era denunciada por vítimas na região do Fonseca, bairro da Zona Norte de Niterói.

Ela praticava os crimes com um namorado, que morreu em Minas Gerais, segundo a Polícia Civil. Nas redes sociais, Hello Kitty, além das armas, sempre deixava à mostra uma tatuagem de gueixa que tinha na perna.

Fonte: G1.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *