Crônica: ALMAS GÊMEAS

Ou: sobre o amor

PSEUDÔNIMO: Léo Daniel

ALMAS GÊMEAS

Para Elisangela

As almas gêmeas existem, mas são raras, elas atendem ao mesmo tempo um chamado, um apelo pela escada, e apelo lido, é um apelido inicial, que provoca os sonhos do cantor, que vibra em altas frequências. As almas gêmeas são eternas, elas renunciam a perfeição final do Nirvana e depois do Absoluto para não viverem o conto da enterradora, as almas gêmeas não temem nada. Cumprida a missão, cumprida a jornada, as almas gêmeas voltam a ser um Elohin. Hierarquia máxima da divindade, superado apenas e atrás do poder e da força de um Querubim – filhos das almas gêmeas no Reino do Céus. Este é um dos mais secretos segredos da vida, dando enfoque e talento aos sonhos preletores. Viva a família Santa… Trindade Máxima. Com toda potestade com todo poder de gêmeos poderem ser. As almas gemas sabem viver, e são gratas à vida, ao convívio e a magia do dia-a-dia. E o tempo não é capaz de matar esse amor… tão logo, eterno, labor… A vida sem arte é um erro.

Quando elas (as almas gêmeas) se verem pela primeira vez nessa na vida é amor à primeira vista e tudo que isso se acarreta por tudo é a vida que vem desse sonho desse amor… E assim metade dos problemas existenciais já estão resolvidos. Restando apenas com calma resolver o restante sem o medo arredio.

Sobre isso, me veio à mente o mito de Cadmo e Harmonia… Conta o velho mito grego que Cadmo foi o fundador da cidade de Tebas, e como quem merece um pedido aos deuses o casal pede apenas para morrerem juntos, e foi isso que aconteceu, morreram e viraram as serpentes do Caduceu de Mercúrio (Hermes). Juntos para sempre… em meio dos mistérios do amor.

Há velhinhos que se amam tanto que dá dó quando um pássaro parte no azul do céu, mas a solidão mata. E assim, morrem de saudade (perdem a saúde) – morrem de amor. Que fique claro, isso não é só comum, é raro e especial. Só quem é grande de alma pode amar dessa infinita e fiel forma de amor. E só ama quem tem a alma transbordante do mesmo amor doado e recebido.

O medo destrói os sentimentos e apaga o amor. Não tema nada nem ninguém. Almas gêmeas podem mais, podem melhor, nenhuma força sombria pode mais do que elas, são guardiãs da verdade e donas do próprio destino. Não há nenhum medo nisso. Se entregue, ame e lute. A vida desta forma tem mais valor. Tem mais sabor. E pede um beijo místico que desafia o tempo e sua criação. Almas gêmeas vivem aqui e agora dentro da tão sonhada eternidade. Aceite ao chamado. Minha Pequena, você dá conta.

Leonardo Daniel Ribeiro Borges

(poeta, professor, radialista, escritor)

01/12/2021

Inhumas, Goiás

Bora compartilhar!!

Visitem meu site

Comprem meus livros:

www.poetaleodaniel.com

e-mail: leodanielrb@yahoo.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.