CRÔNICA: O voo dos pássaros

– Por Léo Daniel

As doenças mentais tiveram ao longo das últimas décadas um avanço tanto na farmacopeia quanto no tratamento psicológico. Muitos preconceitos foram quebrados, e houve uma mudança positiva em todo contexto, a luta antimanicomial tem um forte contexto de atuação, e um discurso ideológico cada vez mais claro e humanizado no qual doenças mentais graves que precisam de internação tem na verdade um período de internação que dura em média 28 dias. Não mais meses.  Não mais anos. Não mais vidas.

Hoje temos o CAPS (Centro de Atenção Psicossocial). Com profissionais preparados, espaços terapêuticos adequados e acolhimento.

A psicose maníaco depressiva que causou tanta estigma, tem seu espectro(conceito) de atuação ampliado e mais preciso, com o uso geralmente de medicamentos mais específicos como carbonato de lítio, a psicose maníaco depressiva não mudou só sua nomenclatura para transtorno afetivo bipolar, mas mudou toda uma concepção científica e filosófica. Diminuindo o medo, diminuindo o sofrimento.

Mas se é do afeto que estamos falando é melhor do que nos sucumbi na mania psicótica, não é um jargão cientificista é uma realidade existencial no desenrolar no tratamento… O tratamento evoluiu ainda mais, do transtorno afetivo bipolar veio de novo um avanço do degrau do espectro surgindo o termo e conceito: transtorno bipolar do humor… BINGO! Mais uma conquista, tratar o humor é muito melhor do que tratar o afeto.

Quando muda uma teoria. Quando se cria uma ideia, muda o como se deve ver a realidade. De fato, mudanças dão medos e nem sempre são para o melhor.

O humor está ao nosso alcance, “temos drogas especificas e precisas remédios feitos por anjos são cada vez mais potentes, e, válidos apesar de que temos a obsolescência programada, e isso na medicina não ´bom’, muitos vidas poderiam ser salvas.

A gora a cereja do bolo, a bipolaridade um termo, uma ação ainda mais humanistas também surgiu em mais um sacode do espectro, e se trata o bipolar em sua singularidade idiossincrasia.

Nos dias hoje não expõe a interpretações medíocres.

Hoje politicamente correto não é dizer: SOU BIPOLAR – mas sim: FAÇO TRATAMENTO CONTRA BIPOLARIDADE.

Esta crônica e´ um esforço para que haja luz na alma, e assim nunca desistir com seus poetas, dos seus poemas, e, nem dos seus sonhos. Estre eles a: BIPOLARIDADE. De quase 1000 poemas publicados…Tenho dois poemas que falam sobre loucura. Um chamado “Curto Circuito” e o outro se chama: “Casa de socorro”. Mas não é a hora deles aqui. São belos poemas, tristes no entanto… esperançosos. Evito causar impacto. Meu ser é leve.

Leonardo Daniel Ribeiro Borges

(poeta, professor, radialista, escritor)

07/09/2021

Inhumas, Goiás

Bora compartilhar!!

Visitem meu site

Comprem meus livros:

www.poetaleodaniel.com

e-mail: leodanielrb@yahoo.com.

One thought on “CRÔNICA: O voo dos pássaros

  • setembro 11, 2021 em 8:15 pm
    Permalink

    Boa tarde e um tema polêmico por que as pessoas não estão acostumados com a verdade e as pessoas que faz tratamento de bipolaridade. eles são sinceros e verdadeiros não aceita erros amei temo Parabéns

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *